KASULO EM DIÁLOGO

programa de 

cessão de espaço

APRESENTAÇÕES PRESENCIAIS - 10/09 a 04/10 

 

SEX. E SÁB. ÀS 20h

DOM. ÀS 19h

*com limitação do número de público conforme protocolo vigente

10, 11 e 12/09

AVOAPÉ

Coletivo Diário

Avoapé conta os desafios da pandemia e a aridez da vida do trabalhador brasileiro. Através da dança híbrida e da poesia, os bailarinos trazem a história de tantas, que lutam na pandemia contra ainda mais adversidades e desamparo social.

 

Entre folhas, flores e tropeços, eles seguem trilhando os caminhos que reivindicam para todes nós e clamando pelas Yabás, por suas ancestrais vivas e por seus irmãos da terra. Trilhando seus caminhos, um pé atrás do outro, até voltar a alçar voo.

Minibio. O Coletivo Diário surgiu em 2018 a partir de inquietações e encontros dentro do Espaço Cultural Adebankê. Entre suas obras principais estão os espetáculos: Diário de Um Certo Artista, DUCA na sua casa e Avoapé. O Coletivo é a voz e o corpo de artistas que enfrentam o corre todos os dias. É o registro, a expressão e a escrita dessas narrativas tão íntimas que são dignas de um diário. Entre partilhas, o Coletivo constrói seu trabalho independente, com parcerias e colaborações culturais periféricas.

 

FICHA TÉCNICA

Direção Geral: Rodrigo Alcântara | Produção Executiva: Camila Silva | Produção Operacional: Ellen Vitalino | Técnica de Palco: Angeli Cristie  | Desenho de Luz: Rafael Oliveira | Produção Audiovisual: Olhares de Guiné | Captação de imagem: Camila Silva, Olhares de Guiné e Victor Godoi | Direção de Arte: Rodrigo Alcântara e Camila Silva  | Trilha sonora: Clarianas | Edição de trilha: Vito Velasso | Áudio descrição: Leonardo Stephens | Libras: Rodrigo Antônio | Bailarinos convidados: Terena Kanouté, Rafael Oliveira, Sofia Serafim, Nayara Romana | Poema “Sempre Nordestina”: Jô Freitas | Maquiagem: Aline Cristina | Adereço de Cabelo: Io Costa | Criação de Figurino: Rodrigo Alcântara | Confecção de Figurino: Nina Silva | Design Gráfico: Julia Sousa

12 divulgação_edited.jpg

40 min | classificação indicativa: LIVRE

 R$ 10 inteira | R$ 5 meia 

17, 18 e 19/09

DISSOLUÇÃO FESTIVA: GERAÇÃO Z

Teatro da Matilha

Com a encenação inspirada no shitposting e no movimento destituinte, a Dissolução festiva faz uso da linguagem performativa, da dança, da música e de um pouco de teatro para esbarrar em peças constitutivas da geração que cresceu no mundo digital. Politizados, festeiros. Com o corpo urbano, deslocado e gratuito, um grupo de intérpretes jovens se propõe ao trabalho de agrupar e ao mesmo tempo dissolver os universos de referência que tecem suas histórias.

Minibio. O Teatro da Matilha surge em 2018 no Instituto de Artes da Unesp, com as propostas: de praticar os limites do teatro e sua intersecção com outras modalidades artísticas; e de aglutinar, forçosamente, incompatibilidades, sejam elas dos corpos vivos, dos objetos inanimados e das relações. Resultantes deste amontoado são os experimentos-espetáculos “Alter-ego da violência” (2018) e “Dissolução festiva: geração z” (estreia em 2019).

FICHA TÉCNICA

Direção geral: Tadzio Veiga | Direção musical: Vinícius Andrade | Elenco: Carolina Gasquez, Gabriela Vinci, Giorgia Tolaini, Pedro Athié, Tadzio Veiga e Vinícius Andrade | Luz: Giorgia Tolaini

foto-divulgacao---Dissolução-festiva--geração-z---teatro-da-matilha-7_edited.jpg

50 min | classificação indicativa: 18 anos

 livre oferta de R$ 10 a R$ 20

24, 25 e 26/09

ENSAIOS SOBRE UM TRIZ

Rebeca Tadiello

“Ensaios sobre um triz” é um solo de Rebeca Tadiello concebido juntamente ao projeto ‘Ensaios sobre um triz- Desenvolvimento autoral partilhado’ (EDITAL PROAC EXPRESSO - PRIMEIRAS OBRAS).

‘Ensaios sobre um triz’ – um mover que testa sobre limites: estar em TRIZ. / A obra apresenta ensaios corporais que dialogam com alguns pontos emergidos e trocados em vivênciaS diante do século XXI - sociedade neoliberal, implicações do ‘propor em mundo’ que recai sobre  cada corpo - : esgotamentos, caixas, auto exploração, fadiga, ansiedade, gêneros&delimitações, fios, dívidas – o ‘TRIZ como uma versatilidade poética e questionadora sobre formas de “estar”.

Minibio. Rebeca Tadiello é artista independente e natural de São Paulo-SP, graduou-se em Comunicação Social-Relações Públicas pela ECA-USP. Trabalha na cena independente atuando em companhias-grupos de dança. Atualmente, dirige o projeto “Ensaios sobre um triz – Desenvolvimento Autoral Partilhado” contemplado pelo edital PROAC EXPRESSO – PRIMEIRAS OBRAS -2020. Projeto este que reúne artistas da cidade de São Paulo que desenvolvem, em atravessamento artístico, processos e criações que confluem linguagens artísticas diante de questões comuns.

FICHA TÉCNICA

Direção artística, concepção e performance: Rebeca Tadiello | Produção: Luigi Marin | Trilha: Vitor Moreira | Iluminação: Rossana Boccia | Figurino: Gabriela Araújo | Cenorgrafia: Priscila Soares | Provocação Cênica: Diego Alves Marques, Vanessa Macedo e Vívian Navega | Direção de Vídeo: Priscila Magalhães | Fotografia: Victoria Cavalcanti | Relações Públicas: Victor Dumont

foto divulgacao - Ensaios sobre um Triz 3_edited_edited.jpg

35 min | classificação indicativa: 12 anos

 entrada gratuita 

01, 02 E 03/10

BEBEREI MENOS SE ME AMARES MAIS

Leticia Negretti

"Beberei Menos Se Me Amares Mais" nasceu de poemas autorais da atriz e poeta Leticia Negretti, que a partir de experimentações e provocações cênicas conduzidas pela diretora Nathália Bonilha, transformou sua obra poética em uma obra teatral. A personagem é o "alter ego etílico" da própria atriz, que verbaliza e expõe atitudes machistas de homens héteros nas relações amorosas e sexuais, lamentando a frieza dos amantes nos tempos de hoje em meio a um estado de embriaguez que desperta reflexões sobre a solidão, afeto e o fim dos tempos."

Minibio. Leticia Negretti é atriz, dramaturga, poeta e bacharel em Audiovisual pelo Centro Universitário Senac. É co-fundadora do Grupo Teatro Cartum e da Reverba Companhia. É poeta e publica suas poesias na página do Instagram de IG @maisumtragopoesias. Nathália Bonilha, é atriz, diretora, dramaturga e educadora teatral. Formada em Direção Teatral pela ECA/USP e no curso profissional de atores do Teatro Escola Macunaíma. Em 2012 fundou a Cia Ato Reverso.

FICHA TÉCNICA

Elenco e Texto: Letícia Negretti | Direção: Nathália Bonilha | Músicas: Willian Germano e Joaquim Ramalho | Desenho de luz: Alex dos Santos

foto-de-divulgacao---Beberei-Menos-Se-Me-Amares-Mais_edited.jpg

50 min | classificação indicativa: 12 anos

 R$ 20 inteira R$ 10 meia 

PRESENCIAL E TRANSMISSÃO AO VIVO -

25 E 26/09 

SÁB. E DOM. ÀS 15h

  • Branca Ícone Instagram

SAGRAÇÃO DO AGORA

Toshiko Oiwa

Sagração do Agora! é uma tentativa de composição espontânea em movimento com meu filho Kae (10 anos), diagnosticado com síndrome de Down, e a obra  “A Sagração da Primavera”, de Igor Stravinsky. 

 

Para o público, é um desafio de observação da arte e da vida.

A música de Stravinsky não se resume à cultura europeia e tem “groove” para mim.  Ela evoca mais a energia da África ou do Brasil, ou a força da Terra antes da humanidade. Como xintoísta japonêsa, eu entendo essa conexão, o sentimento de que deus está dentro de todo ser vivente. 

 

A  pandemia do coronavírus nos despertou a conexão, inclusive corporal, com a natureza, e estamos adquirindo um outro olhar sobre a existência, reconhecendo mais a igualdade entre todos e despertando para nosso propósito primário na Terra.

   

Neste desafio de estar no aqui/agora com meu filho e o Stravinsky, gostaria de observar a arte e a vida no groove.

Minibio. Estudou dança na Juilliard School em Nova York. Entre 1996 e 2006, Toshiko integrou a companhia de dança de Twyla Tharp e Bill T. Jones/ Arnie Zane Dance Company em Nova York, e seguinte na França, Ballet Preljocaj/Centro Coreográfico Nacional do Aix-en-Provence. Toshiko apresentou-se em mais de 20 países. A partir de 2007 Toshiko criou sua própria obra e a apresentou no Japão, França, Alemanha, Marrocos, Brasil e na Holanda. Em 2008 ficou no Brasil pesquisando danças Brasileiras durante um ano. Seus vídeo danças foram exibidos no Dance on Camera Festival, Manhattan Neighborhood Network em Nova York e no Cinedans em Amsterdam. Atua como professora convidada na Korean National University of the Arts em Seul e no Senzoku College of Music em Tóquio.

T&K.jpg

40 min | classificação indicativa: livre

 livre oferta de R$ 1 a R$ 20

TRANSMISSÕES AO VIVO -

10 a 12/09 e 08 a 10/10 

SEX. E SÁB. ÀS 21h

DOM. ÀS 19h

16 e 17/10

SÁB. ÀS 21h

DOM. ÀS 20h

10, 11 e 12/09,  16 e 17/10

ENSAIO PARA O VERDADEIRO MOMENTO DO FALSO

Próximo Coletivo de Dança

“Ensaio para O Verdadeiro Momento do Falso” é o registro teste do dueto de dança contemporânea criado e interpretado por Cristiano Saraiva e Thainá Souza (Próximo Coletivo de Dança). Livremente inspirado no universo estético e poético do diretor chileno Alejandro Jodorowsky, o trabalho propõe uma jornada surrealista, trazendo em sua narrativa o místico, o encantado e o monstruoso.

Minibio. O PRÓXIMO COLETIVO DE DANÇA pesquisa a dança contemporânea em diálogo principalmente com a linguagem audiovisual como ferramenta de pesquisa e provocação criativa. Nasce no segundo semestre de 2018, no trabalho de conclusão do curso de formação em dança do Projeto Núcleo Luz com o duo “O Verdadeiro Momento do Falso”.

 

FICHA TÉCNICA

Direção Artística, de Vídeo e Roteiro:: Próximo Coletivo de Dança | Intérpretes Criadores: Cristiano Saraiva e Thainá Souza | Trilha Sonora Original: Tiago Penalva | Produção Musical: Rafaela Maciel e Tiago Penalva | Desenho, montagem e operação de luz: Yorrana Soares | Figurino: By Babis, Ana Lúcia | Cenário: Próximo Coletivo de Dança e Acervo Kasulo Espaço de Arte | Captação de imagem, edição e finalização:  Olhares de Guiné | Colaboração Artística: Liana Zákia | Consulta Oracular: Amanda Dias | Produção: Simone Gonçalves | Agradecimentos: Roni Nascimento, Jonatan Vasconcelos e Dentre Nós Cia de Dança | Apoio: Kasulo Espaço de Arte

1631114162249_edited.jpg

26 min | classificação indicativa: 14 anos

 apresentação gratuita 

  • Branca ícone do YouTube

08, 09 E 10/10

A NOIVA

Desabafo Coletivo Teatro

A Noiva une fatos históricos e vivências pessoais para falar sobre o ideal de feminilidade construído pela sociedade ocidental. O solo-documento-palestra-performance-ritual conta a história do casamento evidenciando a relação da família nuclear com a propriedade privada e com o controle do corpo da mulher.

Minibio. O Desabafo Coletivo Teatro foi fundado em 2010 pela atriz Vanessa Carvalho e pela musicista Estela Carvalho com o intuito de pesquisar a relação do ser humano contemporâneo com o que chamamos de “feminino”. Seu repertório é composto por: Desabafo - Experimento Cênico (2011); Contos do Sagrado Feminino para Crianças (2014); Cabaré dos Afetos (2018); A Noiva e Ponto G (2021).

 

FICHA TÉCNICA

Concepção, dramaturgia e atuação: Vanessa Carvalho | Produção: Gabi Costa | Provocação Cênica: Lilian de Lima | Figurino e ambientação cênica: Samantha Macedo | Ensaio fotográfico: Ariane Artioli | Coreografia da música "Tomara": Bia Graboschi | Operação de plataforma digital: Açucena Rosa | Iluminação: Giu Valentim | Vídeos: Estela Carvalho, Joana Blumenschein, Luiz Fernando Marques Lubi e Vanessa Carvalho 

foto-de-divulgacao---a-noiva---desabafo-coletivo-2_edited.jpg

60 min | classificação indicativa: 16 anos

 apresentação gratuita 

 VIA ZOOM 

Untitled-1.png